Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. PLANO TEMER: TODOS SE SAFAM, MENOS A ODEBRECHT ~ Verdades Ocultas

domingo, 19 de fevereiro de 2017

PLANO TEMER: TODOS SE SAFAM, MENOS A ODEBRECHT

Postado por: Fátima Miranda - 07:24:00

Compartilhar

& Curtir



247 – Desde o início da Lava Jato, a Odebrecht, maior empreiteira brasileira, já demitiu mais de 100 mil trabalhadores e colocou diversos ativos à venda. Pressionada, a empreiteira decidiu capitular e firmou o maior acordo de leniência da história, aceitando pagar uma multa de mais de R$ 7 bilhões e colocando 77 executivos para colaborar com a Justiça.

Com essa decisão radical, a empreiteira esperava virar a página e retomar suas atividades, com novos padrões de governança. No entanto, na era Temer, em que tudo tem sido feito para a "estancar a sangria" da Lava Jato, a construtora brasileira pode terminar como o grande bode expiatório desse processo.

Temer, como fica mais claro a cada dia, tem seguido à risca o roteiro traçado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR). Todos seus movimentos, como a indicação recente de Alexandre Moraes para o Supremo Tribunal Federal, visam conter os danos da Lava Jato e proteger a classe política. Ele próprio foi citado 43 vezes numa das delações e vários de seus ministros, como José Serra, Eliseu Padilha, Moreira Franco e Marcos Pereira, estão implicados nos esquemas de propinas, assim como fiadores importantes do golpe, como o senador Aécio Neves.

Caberia, portanto, ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, agir para conter esse resgate da base aliada conduzido por Temer, mas até agora poucos políticos foram denunciados ao Supremo Tribunal Federal. O movimento mais recente de Janot foi reunir procuradores de dez países da América Latina para que eles também criem forças-tarefa contra a Odebrecht – o que a Alemanha não fez no caso Siemens, nem a França no caso Alstom.

Segundo o colunista Jeferson Miola, o acordo de Janot com as procuradorias de países estrangeiros fere a soberania e prejudica interesses nacionais (leia mais aqui). Aliás, esse movimento acontece num momento em que o governo de Donald Trump pretende tornar sigilosas as atividades de empresas norte-americanas no exterior, o que indica que elas serão liberadas para pagar comissões políticas, fora dos Estados Unidos, como uma forma de ocupar mercados.

Recentemente, uma reportagem da revista Foreign Affairs retratou o Brasil como potência, justamente porque vinha sendo capaz de deslocar empresas norte-americanas e chinesas na África e na América Latina. O carro-chefe desse processo era a Odebrecht, que vem sendo banida do mapa, mesmo tendo feito seu acordo de leniência. Não se sabe quais serão os próximos passos de Janot, mas a realidade é que, até agora, Temer e seus aliados vêm conseguindo se safar e estancar a sangria – o que não se aplica aos já demitidos e aos que ainda serão demitidos pela Odebrecht.

Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Fátima Miranda

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com