Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. GREVE GERAL — A REVOLUÇÃO não faltará ao encontro! ~ Verdades Ocultas

terça-feira, 25 de abril de 2017

GREVE GERAL — A REVOLUÇÃO não faltará ao encontro!

Postado por: Elder Pereira - 14:54:00

Compartilhar

& Curtir



Por Christiele Dantas
A Greve Geral é uma Greve Política. Significa a união da Sociedade contra o Estado. No caso do Brasil, representa a reunião de uma parte da Sociedade que não possui privilégios contra outra parte que se sustenta no conluio com o Estado. A Greve Geral do dia 28 de abril tem a missão de demarcar os lados da guerra entre a autogestão popular e o governo oligárquico.
Por isso, a pauta reivindicatória está para além das bandeiras levantadas em 2016, encampadas pela defesa da Democracia. É uma Greve contra a perda de direitos e contra o ataque à Constituição Cidadã. È uma Re-Ação, um convite ao Combate. Não se resume a uma Greve de apoio a lideranças de esquerda abaladas. A Greve Geral é um clamor pela REVOLUÇÂO. E sem a REVOLUÇÂO, todos os Golpes foram, são e serão vitoriosos.
Abril de 1964. Os gorilas assaltaram o poder. O governo em exercício aceitou e a esquerda que o apoiava ficou paralisada. Veio a resistência, hegemonicamente pautada pela defesa da democracia.
Agosto de 2016. Uma quadrilha assalta o poder. O governo em exercício se defendeu, dentro dos termos cunhados pelos assaltantes. A esquerda que o apoiava ficou paralisada. Vem a resistência, hegemonicamente pautada pela defesa da democracia.
Para Darcy Ribeiro, João Goulart era reformista e na ocasião do Golpe de 64, considerava sua queda menos catastrófica que o desencadeamento e a condução de uma Revolução Social. Toda uma geração de intelectuais da esquerda trocou o primado da REVOLUÇÃO, pelo resgate e restabelecimento da Democracia. Representam posicionamentos politicamente orientados, em especial pelo Partidão (PCB), que viu todo seu projeto de aliança com o governo reformista esvair-se com a rotura da legalidade.
Para Jacob Gorender, as reformas de base, superdimensionadas e sobrevalorizadas pela historiografia marxista, só ganharam importância na pauta do governo Jango, após perder crédito junto às forças conservadoras, uma vez que se demonstrara incapaz de conter o descalabro e subjugar as forças da esquerda. Diante do impasse, Jango busca aliança com Luiz Carlos Prestes, secretário geral do PCB.
Prestes entregou irrestrita e publicamente a direção da REVOLUÇÃO a Jango. Nenhuma das lideranças operárias e nacionalistas mostrou audácia e iniciativa de luta. “Todos ficaram à espera do comando do Presidente da República. Fracassaram não só os comunistas, mas também Brizola, Arraes, Julião e os generais nacionalistas. Jango não quis a luta, receoso de que a direção política lhe escapasse e se transferisse às correntes de esquerda. Colocou a ordem burguesa acima de sua condição política pessoal”, constata J. Gorender.
Em 1964 existia uma situação pré-revolucionária nunca antes vista na história do Brasil A dependência à figura do líder, ensejada pela cultura paternalista, foi fator primordial para o fracasso da esquerda.
O vazio da retração do PCB foi preenchido por novas organizações surgidas de suas próprias fileiras. Para Marighela e sua Ação Libertadora Nacional (ALN), só a ação faria a vanguarda. O Golpe mostrou o despreparo da esquerda, mergulhada no fatalismo histórico de que a burguesia é a força dirigente da revolução brasileira. Resultado: o abandono das posições de classe e a inação generalizada.
Em 2016, a esquerda se encontrava fragmentada. Parte dela aceitava de bom grado os frutos do reformismo, que saciou a nova classe média com o poder de consumo. Outra parte, presente às jornadas de junho de 2013, atacava a atualização do paternalismo de Estado e seus desdobramentos. O processo de derrubada da presidenta eleita reunificou boa parte da esquerda, em defesa da DEMOCRACIA. Foi o início da batalha contra os usurpadores do poder e seu projeto de desmonte do Estado de Bem Estar Social. Sempre partindo do pressuposto da DEMOCRACIA, tida como valor universal. Nos discursos Anti-Golpe, quase sempre, a REVOLUÇÃO se ausenta.
Em 1917, primeira GREVE GERAL no Brasil, organizada por sindicatos anarquistas e comunistas, marcou o início da luta dos trabalhadores. Sua bandeira: a REVOLUÇÃO!
100 anos depois, 28 de abril de 1917. Rumamos para a GREVE GERAL. A Greve é a ação vanguardista que paralisa a plutocracia. Não às Reformas! Não ao Reformismo! Que possamos correr de peito aberto e com sangue nos olhos ao encontro da REVOLUÇÃO. Sem Pátria e sem Patrão!
Fonte: ocafezinho

Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Elder Pereira

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com