Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. TEMER IGNORA MEGAPROTESTO E PROMETE ENDURECER NA PREVIDÊNCIA ~ Verdades Ocultas

quinta-feira, 16 de março de 2017

TEMER IGNORA MEGAPROTESTO E PROMETE ENDURECER NA PREVIDÊNCIA

Postado por: Fátima Miranda - 06:52:00

Compartilhar

& Curtir



Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O governo do presidente Michel Temer decidiu endurecer o discurso contra mudanças na proposta de reforma da Previdência e fechar os espaços para negociar alterações que, em sua avaliação, desvirtuem o texto, apesar dos expressivos protestos desta quarta-feira contra as mudanças, disseram à Reuters fontes palacianas.

"O governo não abriu negociação. A orientação é para afinar o discurso e o discurso é o do governo, de manter a proposta como está", disse uma das fontes.

Nos últimos encontros, já novamente sob a coordenação do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha --que ficou afastado três semanas por problemas médicos-- o tom dos líderes mudou e as declarações de que a reforma não passaria da forma como está foram substituídas por demonstrações de unidade.

Essa foi uma das cobranças que o ministro fez à base, de que era preciso afinar o discurso. "Não dá para cada um sair dizendo uma coisa, um reclamando de A, outro reclamando de B", disse a fonte.

Presidente da comissão especial que analisa a reforma na Câmara, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) admitiu na terça-feira que não havia nenhuma orientação para negociar e que nenhuma das propostas recebidas até agora era factível.

A ordem no Planalto é para dar "força total" à reforma, como prioridade absoluta. Apesar de tocar outros fronts --nesta quarta Temer chamou para o palácio uma reunião sobre reforma política com os presidentes da Câmara, do Senado e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)-- todas as outras ficam em segundo plano, disse uma outra fonte.

Procurar mostrar que está trabalhando é a maneira do Planalto reagir aos vazamentos dos pedidos de inquérito apresentados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que incluem ao menos cinco ministros do governo.

Segundo fontes palacianas, não houve surpresas nos nomes, especialmente nos pedidos de inquérito contra Padilha e contra o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e a ordem de Temer é de evitar comentários sobre o tema.

"Vai falar o quê agora? Tem que esperar para ver o conteúdo, a gravidade, e o que o Supremo Tribunal vai fazer", disse uma fonte. A ordem é tocar a agenda e a reforma da Previdência, principal bandeira do governo, para mostrar que tudo continua normal.

CAMPANHA

O governo também admitiu que será preciso mudar a comunicação sobre a reforma e vai investir em um tom mais incisivo na defesa das mudanças, respondendo a uma cobrança da base aliada, disseram à Reuters fontes palacianas.

"O tom da campanha vai mudar um pouco. A prioridade vai ser esclarecer que a reforma preserva direitos e não atinge os mais pobres", disse uma das fontes.

Nos próximos dias devem circular peças de televisão e nas redes sociais para tentar combater o discurso da oposição e de movimentos sociais de que a reforma retira direitos dos trabalhadores.

Antes, no entanto, o governo terá de derrubar uma decisão proferida nesta quarta pela Justiça Federal do Rio Grande do Sul que determinou a suspensão imediata das propagandas sobre a reforma, por entender que houve mau uso de recursos públicos e desvio de finalidade.

Incomodados em ter que defender um texto que é claramente impopular, parlamentares vêm cobrando do governo uma postura mais firme e uma melhora na comunicação. A avaliação é que o governo estaria perdendo a guerra para a "esquerda" e os parlamentares precisam de apoio para conseguir defender a reforma para suas bases.

Um primeiro exemplo da reação do governo foi a resposta dada ao vídeo divulgado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) em que o ator Wagner Moura critica a reforma. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o Palácio do Planalto acusou o movimento de ter "contratado um ator para inventar uma ficção" sobre a reforma.

O governo também quer convencer a população de que o déficit da Previdência é real, ao contrário do discurso da oposição e de algumas associações de servidores.

"Sempre vai ter a acusação de que o governo está tirando direitos, não é um processo racional e lógico. Mas precisamos mostrar a realidade", disse a fonte.






Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Fátima Miranda

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com