Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. STF QUE PERMITIU O GOLPE DEIXA CORRER A “SOLUÇÃO MICHEL” ~ Verdades Ocultas

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

STF QUE PERMITIU O GOLPE DEIXA CORRER A “SOLUÇÃO MICHEL”

Postado por: Fátima Miranda - 07:13:00

Compartilhar

& Curtir



247 - O que era a “solução Michel”, discutida por Sergio Machado com Jucá, Sarney e Renan, senão a derrubada de Dilma para que Temer, empossado, abrisse um guarda-chuva protetor sobre os investigados da oligarquia, estancando a Lava Jato? O STF ajudou a propiciar esta saída ao deixar que o golpe corresse, quando deveria ter protegido a democracia, e em particular quando impediu a posse do ex-presidente Lula como ministro de Dilma, quando ainda havia tempo para articular uma barragem parlamentar. Agora o STF volta a contribuir com a “solução Michel” ao legitimar a nomeação de Moreira Franco como ministro, garantindo-lhe o foro privilegiado. Com esta e outras decisões casuístas, explicitando um alinhamento político, o Supremo ajuda a minar a confiança da população, que já é baixa, no Poder Judiciário. Além, é claro, de dever um pedido de desculpas a Lula. E a reparação, passando a considerá-lo ex-ministro, como pede sua defesa.

Não foi porém a primeira vez. No final do ano passado, o Supremo, após uma negociação com emissários do Congresso e do governo, derrubou uma liminar do ministro Marco Aurélio, que determinava o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado por ter se tornado téu em algumas ações. Temer precisava de Renan no cargo, para viabilizar a aprovação da PEC do gasto público e conduzir a eleição de um sucessor de confiança. Tudo foi feito mas ali o STF sofreu uma grande erosão em sua credibilidade

Antes do golpe, o Supremo poderia tê-lo impedido se tivesse examinado (não houve provocação da PGR mas houve dos partidos) o teor das conversas entre Sergio Machado, Jucá, Sarney e Renan, classificadas por Teori Zavascki como “um dos mais graves atentados institucionais de que se tem notícia”. O atentado era à democracia, era a conspiração para derrubar Dilma, entronizar Temer e dar curso à “solução Michel”. Ela segue seu roteiro. Agora vem a nomeação de Alexandre de Moraes para o STF, depois de ter seu nome aprovado por senadores que irá julgar. Ainda faltam alguns passos: a manutenção do sigilo das delações (defendida por Carlos Velloso, cotado para o Ministério da Justiça), a anistia ao caixa dois, a regulamentação das prisões temporárias prolongadas de Sergio Moro, a desidratação da Lava Jato.

O povo tem memória. E nela está fresca a decisão de Gilmar Mendes, proibindo Lula de ser ministro de Dilma, no momento em ainda era possível evitar a consumação do golpe. Lula iria cuidar da articulação política, valendo-se de seu capital político e seu trânsito em quase todos os partidos. Com seu impedimento, o governo de Dilma perdeu qualquer outra possibilidade de reação, passando a esperar quase passivamente pela derrubada. Foi como tomar doce de criança. Mas o que valeu para Lula não vale para Moreira Franco.

Em algum momento o plenário vai examinar o assunto, disse Gilmar Mendes ontem, comentando a decisão do decano Celso de Mello, oposta a que ele tomou em relação a Lula. Mas dificilmente, emendou, haverá uma decisão sumular (uma regra geral) porque cada caso “tem nuances” que precisam ser examinadas. O diabo então vai morar nas nuances. De acordo com elas, o STF permitirá ou não que o presidente da República nomeie ministros que podem se tornar réus. Tudo isso mina a credibilidade do STF, nesta hora crítica para as instituições republicanas.

Os brasileiros nunca confiaram muito numa justiça que enche as prisões de pobres e pretos, quase a metade deles sem julgamento, enquanto aos mais ricos concede a presunção da inocência e o benefício dos recursos protelatórios.

Segundo a pesquisa anual feita pela FGV Direito, o Índice de Confiança na Justiça Brasileira em 2016 foi de 4,9, numa escala de 0 a 10. É muito baixo mas com certeza cairá mais, com o próprio Supremo explicitando tão claramente que não usa pesos iguais para casos idênticos, tendo facilitado o golpe e estando a contribuir para a salvação da oligarquia.

Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Fátima Miranda

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com