Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. Assassinato político – Pedalinhos de R$ 5 mil valem mais que helicóptero com 77 milhões de dólares em cocaína. ~ Verdades Ocultas

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Assassinato político – Pedalinhos de R$ 5 mil valem mais que helicóptero com 77 milhões de dólares em cocaína.

Postado por: Elder Pereira - 17:29:00

Compartilhar

& Curtir



Por Bajonas Teixeira, colunista de política do Cafezinho
Vejamos os fatos. O pedalinhos criminosos de Marisa Letícia custaram, juntos, R$ 5 mil reais. Duas crianças, seus netos, costumavam pilotar essas máquinas mortiferas que, até hoje, estão no centro das acusações da Mídia e do MPF a Lula. Já o helicóptero com quase meia tonelada de pasta base, que após refino chegaria a 77 milhões de dólares em cocaína, pilotado pelo assessor do filho de um senador, nem sequer é mais lembrado.  Aqueles dois moleques e suas máquinas do mal são, como se conclui da atenção da mídia e do MPF, mais perigosos à ordem pública que o piloto do helicóptero capturado.
Façamos as contas. O helicóptero foi apreendido no ES. Como o estado consome basicamente o pó preto da Vale e não o pó branco que o helicóptero levava, ele só podia ser ponto de passagem. A hipótese óbvia é que se pretendia usar os portos do ES para escoar a droga. Nos EUA a grama da cocaína pode chegar a 35 dólares. Como cada kg de pasta base rende até 5 kg de cocaína refinada, temos que 445 kg da pasta produzem  2.225 kg da droga. A 35 dólares a grama cada kg sai por 35 mil dólares. Os valores são os seguintes:
10 kg – 350 mil
100 kg – 3.500.000
1.000 kg – 35.000.000
2,225 kg – 77.875.000
Conclusão: o helicóptero do bem levava mais de 77 milhões de dólares em cocaína. A responsabilidade foi atribuída totalmente ao piloto, até onde sabemos. Curiosamente, além dessa atividade, o piloto também era funcionário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais,  nomeado por Gustavo Perella, dono do helicóptero, e filho do senador Zezé Perella. Diz uma matéria do UOL:
“O deputado é acusado pelo MP de nomear o piloto Rogério Almeida Antunes, preso na operação da PF (Polícia Federal), em novembro do ano passado, que o flagrou transportado com mais três pessoas 445 quilos de base de cocaína, no Espírito Santo, para o cargo de assistente da mesa diretora da Assembléia Legislativa de Minas Gerais.
De acordo com o MP, o piloto era “funcionário fantasma” na Assembléia e, assim, teria recebido ilegalmente R$ 13.114,87 de salários (incluindo benefícios), entre março e dezembro de 2013.
O piloto declarou ao MP em depoimento que ‘nunca tinha comparecido para trabalhar na Assembleia’. Antunes ainda explicou que foi exonerado, após a prisão, acusado de tráfico internacional de drogas.”  Em nota Gustavo Perella explicou tudo muito bem explicado:
“O referido funcionário não era lotado no gabinete do deputado. Trabalhava na Mesa da Assembléia  (sic) Legislativa, onde deveria prestar seus serviços. Quanto à atividade paralela de piloto, ela é compatível com a função pública, tendo em vista que sua carga horária semanal na Assembléia era de 20 horas, de segundas às sextas-feiras, e comumente prestava serviço de piloto particular nos fins de semana ou mesmo em dias úteis em horários compatíveis com a atividade pública”.
A “atividade paralela” do piloto, que a nota diz ser “compatível com a atividade pública”, não a oficial mas a real, era o tráfico internacional de drogas.  E de fato era muito compatível, se, como ele mesmo diz, sequer compareceu jamais para trabalhar. Não é curioso que assim como nunca percebeu a ausência do funcionário o proprietário do helicóptero também nunca tenha percebido o uso da aeronave para outras atividades “compatíveis com a atividade pública”?
Em junho de 2016, uma matéria do Estadão trouxe o seguinte título:  Gustavo Perrella, do helicóptero com cocaína, é nomeado para o Ministério do Esporte.
Tiremos as conclusões. Uma tal manchete como essa,  que designa o filho de um senador como o “Gustavo Perrella, do helicóptero com cocaína”,  faz pensar numa passagem do Junky de William Burroughs:
No México os delinquentes conhecidos podem ser enviados à prisão das Três Marias sem julgamento. No existem os ladrões de classe média de terno e gravata e boa aparência, como nos Estados Unidos. Há grandes negócios com o amparo de políticos, de um lado, e pé rapados que passam metade da vida na cadeia, de outro. Os grandes negócios podem ser comandados por figuras do alto escalão da segurança e altos funcionários.
Mas onde as coisas se passam assim, está claro, há duas políticas, duas justiças, duas mídias, e uma coisa não tem nada que ver com a outra: uma coisa são dois pedalinhos do mal de R$ 5mil, outra é um helicóptero do bem com $ 77 milhões de dólares de cocaína.
COMPARTILHE. Visite e curta a MÁQUINA CRÍTICA
Fonte: ocafezinho

Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Elder Pereira

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

1 comentários:

  1. Um peso, duas medidas. Investigação meia boca, Justiça meia boca. O poder ou o dinheiro nem sempre compram ou fabricam verdades, calam-na, setenciando um país morimbundo ao estado vegetativo de sua população, que condenada ao "pão nosso de cada dia" contenta-se com a mídia manipuladora a servir-lhe lixo intelectual. Podres poderes...

    ResponderExcluir

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com