Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas e aproveitem para assistir AO VIVO a TV Justiça, TV Senado e a TV Câmara. ** We like welcome and thank you all for visiting this space. Feel free to follow the maximum all published news and INFORMATION To Watch and enjoy LIVE TV Justice, Senate TV and TV camera. Odebrecht delatou donos da Andrade e da Camargo ~ Verdades Ocultas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Odebrecht delatou donos da Andrade e da Camargo

Postado por: Fátima Miranda - 04:43:00

Compartilhar

& Curtir

Fachada da sede da Odebrecht na zona oeste de São Paulo

FOLHA de S. PAULO - Depoimentos prestados por delatores da Odebrecht arrastaram para o centro da Operação Lava Jato sócios de empreiteiras concorrentes, ampliando o interesse dos investigadores sobre a cúpula dessas empresas.

Executivos que participam do acordo de colaboração premiada firmado pela companhia baiana citaram nominalmente em seus depoimentos, pela primeira vez, o principal acionista da Andrade Gutierrez, o empresário Sergio Andrade.

Além disso, no acordo, delatores da Odebrecht relataram acertos em obras nas quais a empresa atuou em consórcio com outras firmas, entre elas a Camargo Corrêa.

Quatro pessoas que acompanham diretamente os desdobramentos da Lava Jato – no meio empresarial e na força-tarefa– afirmaram à reportagem que esses relatos conduzem a investigação na direção de Luiz Nascimento, acionista da Camargo.

Segundo a Folha apurou, embora Nascimento não tenha sido citado nominalmente pelos delatores, o detalhamento de operações feitas em conjunto pela Camargo e a Odebrecht o colocou na mira da Lava Jato. Por isso, ele deve ser chamado pelos procuradores a prestar esclarecimentos.

Nascimento era, entre os acionistas do grupo Camargo, o responsável por manter contato com políticos. Ele já havia sido citado por um delator, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Em seu depoimento, Machado afirmou que recebeu R$ 350 mil em dinheiro vivo das mãos de Nascimento, em 1998, para entregar ao PSDB. Na época, a empresa se limitou a dizer que estava colaborando com as investigações.

Sergio Andrade, por sua vez, aparece pela primeira vez na apuração em menções a contratos de obras no setor elétrico. Ele também deve ser chamado a depor.

Dentro da Odebrecht, as citações a donos de outras empreiteiras são tratadas como um dos conteúdos mais sigilosos do acordo fechado pela empreiteira.

O fato de executivos da empreiteira baiana terem mencionado concorrentes contribuiu para que a Camargo e a Andrade fossem chamadas a se explicar, em uma espécie de "recall", para complementar informações já prestadas nos acordos que cada uma delas firmou com a Lava Jato.

Não está claro se as informações que constam de delações da Odebrecht vão obrigar a uma revisão das multas negociadas nos acordos de leniência firmados pela Camargo e a Andrade com a força-tarefa da Lava Jato.

A Camargo foi a primeira empresa a fazer um acordo do gênero, em 2015. A negociação resultou no pagamento de uma multa de R$ 700 milhões. Já o da Andrade Gutierrez levou ao pagamento de R$ 1 bilhão.

Esses acertos garantem que as empresas possam voltar a ser contratadas pelo poder público. As empreiteiras negociam acordos semelhantes com outros órgãos.

Com o agravamento da situação da Odebrecht na Lava Jato, havia um ressentimento na empresa pelo fato de Emílio Odebrecht ter sido o único dono de empreiteira entre as citadas na operação a ser fortemente implicado, a ponto de ter sido obrigado a também firmar um acordo de delação premiada.

Se a colaboração premiada for homologada, Emílio cumprirá pena de quatro anos em regime domiciliar.

A explicação do Ministério Público para as delações da Camargo e da Andrade não englobarem até agora seus sócios é que elas foram firmadas quando as apurações da Lava Jato estavam em um estágio menos avançado.

Ao longo de todo o processo, a Odebrecht tentou evitar que Emílio, seu principal acionista e presidente do conselho administrativo, integrasse o acordo de delação.

PAI

A participação dele se tornou inevitável, porém, depois que seu filho, Marcelo, ex-presidente da empresa preso desde junho de 2015, disse aos investigadores que assuntos relacionados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deveriam ser indagados diretamente a seu pai.

Segundo a Folha apurou, a missão de falar sobre os concorrentes não coube a Emíllio, apesar de ele ter conhecimento tanto das citações como do contexto em que elas ocorreram.

OUTRO LADO

Procurada, a assessoria da Andrade Gutierrez afirmou que a empresa "não teve acesso às delações e, portanto, não tem como comentar o teor das mesmas".

Fez questão, porém, de salientar que o sócio da empreiteira, Sergio Andrade, "nunca exerceu cargo executivo na companhia, não tendo poder decisório". "Sendo assim, não faz sentido nenhuma implicação [em investigações da Lava Jato]", concluiu.

A assessoria da Camargo Corrêa afirmou, em nota, que a construtora foi "a primeira grande empresa do setor a colaborar com os órgãos de investigação e a firmar um acordo de leniência com a Justiça, com o compromisso continuado de corrigir irregularidades, aprimorar controles internos e sistemas de compliance".

"Neste sentido, a Construtora Camargo Corrêa reitera que segue colaborando com as autoridades e não comenta especulações", concluiu.

A assessoria da Odebrecht afirmou, também em nota, que "não se manifesta sobre o tema, mas reafirma seu compromisso de colaborar com a Justiça". "A empresa está implantando as melhores práticas de compliance."

Postado Por: VERDADES OCULTAS/ Fátima Miranda

RESPEITAMOS A DEMOCRACIA! "Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um." Fernando Sabino

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © Verdades Ocultas

Direitos reservados a VERDADES OCULTAS - Hidden Truths News - Personalização/Arte digital FMS Artes Gráficas WhatsApp 71-99291.6634. http://www.templatezy.com